O Pequeno Príncipe em Porto Alegre

O Pequeno Príncipe em POA


Exposição temporária apresenta a obra prima de Saint Exupéry. Porto Alegre não pode perder a oportunidade para agradecer ao cavalheiro dos ares, personagem que tanto amou o Brasil. Desde cedo, aos 12 anos, quando pediu carona a um aviador – aeroplano construído com barbante, tela e arame, engenho primitivo -, começa uma correria de aventuras.


Aos 21 anos já era piloto, junto com outros pioneiros inicia em Toulouse uma carreira aeronáutica. No Hotel du Grand Balcon, quarto 32, temos lembranças guardadas: Mermoz, Guillaumet, Vacher são nomes ligados até hoje a Indústria Aeronáutica Francesa. A Airbus nasceu da imaginação e da audácia desses pioneiros. O correio postal é a missão dos próximos anos. Em aeronaves ainda precárias, sem bases de apoio adequadas, sem a manutenção imprescindível, um novo serviço desperta o Mundo: França, Espanha, Marrocos, são ligados por correio aéreo regular.




A América Latina será a próxima etapa. Os voos transatlânticos, as bases em Fernado Noronha, Santa Catarina, Argentina e Chile. Para cruzar os Andes, proeza notável, pelas dificuldades da região, pelo frio nas cabines, pelos ventos furiosos, apenas audaciosos obterão a vitória. Latécoère é nome que aparece nas correspondências transportadas. Filatelista mostra, com orgulho, as preciosidades que guardou do avanço inexorável de décadas de sacrifício e destemor. Os selos são magníficos. Peças raras na filatelia. Consuelo, nome cálido, será o amor da sua vida. Dezoito anos de turbulências passionais, de paixões e conflitos: três filhas.




Nascida em El Salvador, Consuelo ao conhecer Saint Exupéry, em Buenos Aires, já fora viúva duas vezes. No encontro, em 1931, a paixão é instantânea. Consuelo será a Rosa no livro “O Pequeno Príncipe”. As experiências de Saint Exupéry aparecerão mais tarde em livros de aventuras. Relatos lidos no original, pois a tradução revela ideias e palavras, mas não sentimentos. Em 1935, numa missão rumo a Saigon, o desastre. Pane do avião obriga nosso herói a um pouso forçado no Deserto do Saara. Terras da atual Líbia. Sem provisões, sem água, noites longas onde apenas as areias,as estrelas solitárias no firmamento, são únicas companheiras. Uma raposa, orelhas imensas, surge para fazer companhia. Os diálogos são prenúncio de algo mais intenso. surgia o início do Pequeno Príncipe: ‘Desenha um carneiro’ – pedia o jovem príncipe.


Salvo por beduínos, missão fracassada, retorna à rotina, para à Europa e para a família. O tempo passa, a 2ª Guerra Mundial o encontra voando em missões de reconhecimento. Aviões obsoletos não podem fazer frente a moderna Luftwaffe. As experiências aparecerão no futuro em outros livros. Os apaixonados pela aviação entenderão as angústias relatadas, a luta pela sobrevivência, o medo companheiro da morte. Após a derrota francesa, os Estados Unidos acolheram Saint Exupéry. Com amigos, num restaurante, relatando memórias, desenha no guardanapo de papel, o esboço de seu personagem. Surge de fato “O Pequeno Príncipe”. Depois, desenha em aquarela os personagens imortais: o garoto, a lua, a raposa, a jibóia. A figura da Boa Constrictor é o produto da sua estada no Brasil. Até hoje, minha neta e outras tantas crianças são captadas e cativadas pelas palavras do mestre. O baobá, árvore da África, resultou o seu encontro em Natal com o único exemplar existente no Brasil. Acho que são dois. Em 1944, aos 44 anos, sem os reflexos dos jovens aviadores preparados para o combate, parte em missão de reconhecimento ao sul da França. Seu P-38, duas caudas, tem apenas velocidade para escapar do ataque dos caças inimigos O “Lightning” não é páreo para Messerschmitt e Focke-Wulf. Até hoje, como um mistério, não se sabe o local onde Saint-Exupéry fez a sua última aterrissagem. Mas, seus livros proporcionarão imortalidade as suas palavras:

Courrier Sud 1929

Vol de Nuit 1931

Terra dos Homens 1939

Piloto de Guerra 1941

Le Petit Prince – ‘O Pequeno Príncipe’ 1943

* Fotos do livro ‘O Pequeno Príncipe’

Felipe Daiello
Autor de “Palavras ao Vento” e ‘A Viagem dos Bichos’
Editora AGE

Patrocínios:

Compartilhe