Mercado das Rosas de Bogotá. Cores do paraíso

Mercado das rosas de Bogotá


Do avião, já na chegada, a imensa quantidade de estufas, ocupando o espaço até o horizonte, indica que as região de Bogotá é uma das maiores no mundo a produzir a rainha das flores. Caule longo, poucos espinhos, as rosas são vedetes na pauta de exportação do país, milhões de dólares americanos. A altitude, acima de 2.200 metros talvez explique a qualidade e a característica das cores que atraem nossos olhos. Flores imensas são preparadas como joias. Nas ruas, em certas zonas, artistas preparam os arranjos, os buquês, as cestas e as combinações de cores, de desenhos e de múltipla imaginação. Podem aparecer misturadas às outras flores, mas reinam melhor quando não disputam espaço com suas súditas.




No dia dos namorados nos Estados Unidos — Valentine’s Day — milhões são despachadas via aérea para o grande mercado consumidor.




Ao comprar as rosas, o cliente recebe manual de instruções: importante que as mesmas abram e durem o maior numero de dias possíveis. Deixe espaço para os botões desabrocharem, não permita que as pétalas se toquem. Todos os dias procure visualizar processo de desidratação nas rosas.




Retire as pétalas murchas, coloque o conjunto longe do calor, da fumaça ou do fumo. Cuidado com o ar condicionado. Não esqueça: as rosas são seres vivos, exigem cuidados e precauções; são nossas parceiras no agradecimento.



Elas agradecem e retribuem as atenções, são vedetes, as donas do local.

Felipe Daiello
Autor de “Palavras ao Vento” e ‘A Viagem dos Bichos’
Editora AGE

Patrocínios:

Compartilhe