Fortaleza de San Felipe de Barajas em Cartagena — Colômbia

Fortaleza de San Felipe – Colômbia


A maior fortificação construída pelos espanhóis para defender suas rotas comerciais na América Latina está localizada em Cartagena de La Índia. Num cerro, próximo da cidade murada, a técnica defensiva da engenharia militar da coroa espanhola se apresenta de modo sem par.




O objetivo era defender à cidade de qualquer ataque, os antigos pântanos constituíam parte da defesa; todos os canhões estavam preparados para enfrentar os inimigos vindos de Boca Chica e Boca Grande. Havia bloqueios por corrente colocada na baia para evitar o ataque de piratas e bucaneiros.




Devido aos constantes ataques, Felipe IV a partir de 1653, inicia os trabalhos. Três etapas são indicadas na história da construção: de 1653 a 1657, de 1724 a 1732, e de 1762 a 1769 ou seja 16 anos de modo descontínuo, produziram um colosso defensivo. Com a vinda de escravos negros, os trabalhos foram intensificados. As baterias defensivas, os túneis de comunicação, as pontes elevadiças, os torreões, tudo exigia a conquista, parte a parte, elo a elo, do complexo de San Felipe de Barajas.




A fortaleza nunca foi rendida. Em 1740 com 183 navios, 700 canhões, 23.700 homens o Almirante Vernon, sob bandeira inglesa, sitiou o bastião por dois meses. Mesmo com apenas 4.000 homens mais de 100 canhões, o comandante espanhol, Blas de Lezo resistiu de modo heróico. Sua vitória resultou na permanência das cores de Castela na América. A certeza do triunfo era tanta, que foram cunhadas duas moedas para celebrar a rendição total da Espanha. O herói espanhol, mesmo sem uma perna, sem um braço e caolho; cicatrizes de antigas batalhas resistiu e venceu. O almirante inglês, após perder 17.000 homens, ao final, foi obrigado a se retirar.




Vendo o sistema de ventilação, a localização das seteiras, a maneira de como era possível, pela alteração da posição, das peças de artilharia, cobrir e desbaratar as tropas inimigas que houvessem ocupado área inferior da fortaleza. Constata-se como o sucesso defensivo foi devido ao gênio dos engenheiros militares espanhóis. A primeira Escola de Engenharia tinha classes de matemática ligadas à construção de defesas e foi criada em Cartagena na América Espanhola. As aulas práticas eram essenciais para a aprovação de candidatos, algo que nunca faltou em Cartagena de La Índia.

Felipe Daiello
Autor de “Palavras ao Vento” e ‘ A Viagem dos Bichos’
Editora AGE

Patrocínios:

Compartilhe