Mercado Central de Kuala Lumpur. Malásia

No antigo Sultanato de Málaca, em 1511 os portugueses, na sua expansão rumo às riquezas do Oriente, ocuparam a capital, a Málaca de Camões. Vestígios de antigos fortes e de igrejas ainda são percebidos na região. Kuala Lumpur, capital da federação da Malásia, é cidade moderna, um verdadeiro jardim tropical, uma surpresa para o viajante que aqui chega. A população predominante tem raízes malaias: 54% do total, depois os chineses, com o poder econômico, alcançam 25%, sobrando para os hindús 7%. A economia é baseada na produção do petróleo, do estanho, da borracha e do óleo de palma.
O Mercado Central, prédio construído em 1888, estilo clássico, ocupa o local onde os imigrantes chineses, trazidos de Cantão para trabalhar nas minas de estanho, estabeleceram os seus centros de comércio e de habitação. Além dos vegetais, dos produtos e dos gêneros de primeira necessidade, do chá, até o ópio era produto de negociação. Uma nova China era implantada. As raízes ainda são percebidas. Os tempos violentos, das entidades secretas, dos tumultos, dos bordeis, do jogo, da prostituição e de todos os vícios, das querelas com os sultões, do legendário Yap Oh Hoy, chinês que assumiu o controle da comunidade, são páginas do passado.
Agora, no Mercado Central encontramos o maior local onde o artesanato malaio é apresentado, onde artigos de estanho surgem com todas as formas, possibilidades e preços. Artigos religiosos tanto muçulmanos como budistas, todos os tipos, estão em oferta por todos os lados e cantos. O punhal cerimonial dos malaios, o Kriss, em forma de serpente é recordação que podemos adquirir. O problema é transportá-lo em nossa bagagem no retorno. Para eles a serpente tem aspecto positivo, pois ao eliminar os roedores aumenta a quantidade de arroz disponível para os homens. O Animismo, religião primitiva associada aos xamãs, aos feiticeiros e as forças da natureza, tem ainda importância nas regiões mais desertas, isoladas da Federação Malaia, como Sarawak e Borneu. Máscaras e artigos para a nossa proteção são produtos disponíveis para compra aqui no Mercado Central de Kuala Lumpur. Para os vários tipos de fé temos o que adquirir, inclusive crucifixos e santos, pois a comunidade cristã alcança 8% da população.
Felçipe Daiello Autor de ‘A Viagem dos Bichos’ Editora AGE site:

Patrocínio:

Compartilhe

Uma resposta para “Mercado Central de Kuala Lumpur. Malásia”

  1. Pingback: viagra women

Os comentários estão desativados.