Moby Dick de Herman Melville. Nova Inglaterra

Apesar de nascer em New York, junto ao porto, será a Nova Inglaterra, onde New Bedford era importante pela indústria baleira, a região que marcará a vida do futuro escritor.

Desde 1605, quando Samuel Champlain explora as atuais Penínsulas Atlanticas do Canadá e chega até os Estados Americanos que constituem a Nova Inglaterra,os bancos de pesca foram importantes no desenvolvimento e aparecimento de cultura náutica que até agora persiste. Desde o século XVI pescadores bretões se atreviam a pescar nas costas do terrível Atlântico Norte. A pesca era a riqueza disponível do Maine até Boston e Gloucester. Gloucester é ponto de encontro de veleiros e de embarcações de luxo para milionários. Barcos!

Pelo caminho, além das pequenas vilas, das igrejas brancas, com agulhas típicas onde cataventos de todos os tipos e formatos tentam descobrir a direção dos ventos, os pequenos portos, os faróis solitários – impossível de contar e fotografar todos -, tentam recordar histórias associadas às conquistas daquela zona, às tragédias ocorridas, aos atos de bravura e aos relatos que não foram contados ou sequer publicados.

Tudo está ligado ao mar, fonte de riquezas, de vidas alteradas e de tragédias programadas. Quantos escritores conhecidos alguns, desconhecidos a maioria, tentaram reproduzir a suas vivencias. Mais livros!

A pesca da baleia corcunda, a nossa baleia franca, era atividade essencial em Massachutts.

Muitos imigrantes vindos dos Açores lançaram raízes portuguesas. Em muitas cidades as rádios transmitem anúncios na língua precisa de Camões. New Bedford era o núcleo principal da indústria baleeira na Nova Inglaterra e os açorianos já tinham tradição centenária na captura dos cetáceos, razão da sua vinda.

O petróleo não havia sido descoberto, o óleo da baleia era essencial na iluminação e na lubrificação das máquinas industriais. Valia ouro. Fazia fortunas.

É nesse ambiente que o jovem Melville embarcou para experiência em navio baleeiro. Por três anos, no Acushot, o Pacífico será seu horizonte. O ano era 1841, mas o rebelde Neville deserta e vive alguns meses entre canibais. Depois participa de motim e será aprisionado até fugir da masmorra e voltar como tripulante para fragata americana.

Com 25 anos, ele retorna a New York; com a experiência obtida escreve dois livros que o catapultam para o sucesso: Typee (1846) e Omnoo(1847) são livros pioneiros para os Estados Unidos , país em plena Revolução Industrial.

Na época, o dito popular afirmava que as mulheres de New Bedford, eram tão feias, tão frias e mandonas, o clima tão difícil, que o melhor era escapar para os paraísos das ilhas dos Mares do Sul. Para o Taiti e Ilhas Marquesas.

Em 1850, escreve Moby Dick, obra onde joga toda a sua experiência e os dados da fortuna. Infelizmente, não tem sucesso e termina seus dias desconhecido na sua residência em Arrowhead- New York.

“Se a natureza não é contra nós, também não é por nós”.

Somente em 1926, Hollywood, com John Barrymore como ator, o redescobre. Moby Dick será reimpresso. Obra prima. Herman Melville ressurge para a glória. Não mais um desconhecido.

Patrocínio:

Compartilhe