Emirados Árabes — Mercados de Especiarias

Emirados Árabes – Mercado de Especiarias

Riquezas do oriente, características essencial da culinária oriental, as lendárias especiarias, tem nos Emirados Árabes local adequado e especial para compras.

Com a expansão do comércio, com as facilidades do transporte e com a política da expansão e concentração do comércio da região nos Emirados Árabes, não há como escapar do souk das especiarias em Dubai.

Perto do porto, após usar o taxi fluvial para reconhecer a região do Creek, não há como não utilizar os “abras”. Baratos, rápidos, o meio de transporte usado pela população local, e que não possui recursos para alcançar os modernos hoteis e locais de luxo; agora o destino é o Mercado de Especiarias.

O “ouro” da Índia é usado não apenas para alterar a característica da proteína básica, mas também na ampliação dos sentidos e mesmo no aspecto saúde onde a cozinha ayurvédica tem sua importância.

Não apenas para aprimorar gostos e exaltar sabores, produtos para uso medicinal, para elaboração de doces e até de perfumes estão acessíveis.

Em lojas antigas, em embalagens típicas, mesmo em sacos, as cores e as variedades dos produtos são desafios e tentações.

Flores de hibisco para o colesterol; rosa mosqueta para feridas na pele, para cicatrização, para queimaduras.

Alho seco, desidratado, pimentões de todas as cores, aspectos e modos de apresentação. Misturas para melhorar a confecção do prato de peixe, de carne, de carneiro. O caril indiano mistura de sete ervas, massala, cravo, canela, semente de funcho. A menta para doces e mesmo para pratos exóticos. Corantes para alterar a apresentação do arroz. Vanila, pistache e açafrão.

O interessante, o característico de cada oferta está na possibilidade de se adquirir o mesmo produto, mas com procedência distinta. Dependendo da região, as propriedades e o preço são bem diferentes.

O açafrão do Irã é o mais caro; pesado em balanças especiais, vendido por gramas, embalado em frascos especiais.

A maioria dos produtos é transportada em fardos ou em imensos sacos, tudo colocado e atravancando as ruelas e os becos do mercado.

Como ponto de encontro entre Ocidente e Oriente, laboratório gastronômico das cozinhas européias, chinesa, indiana e árabe, ocorre no momento uma mistura e combinação de receitas. Os menus dos grandes hotéis e dos restaurantes de luxo apresentam novas receitas. Os grandes chefes, os donos das cozinhas mundiais, têm encontro em Dubai e nos Emirados árabes.

O pato, a ave, o peixe, as carnes são apresentadas em pratos, onde o estranho, o exótico e mesmo o tradicional aparecem com mistérios, onde as “Especiarias das Índias” tem papel fundamental. O difícil é acertar no vinho, o melhor é ficar na cerveja; a possibilidade de acertar é maior. Dependendo do tempero a possibilidade de desastre é grande.

Patrocínio:

Compartilhe