Turim Terra de Dom João Bosco

Turim – Terra de Dom João Bosco, Cidade da Fé

Turim, a capital do Piemonte, desde os tempos das fortificações de Augusto, era região de riquezas; vigia das fronteiras dos Alpes e centro de gastronomia.

Com mais de 53 estações de esqui, perto de cem museus, possui vida e atividades intensas durante todas as estações do ano. Francisco Primeiro, derrotado em Pavia em 1525, após pagar o resgate real, leva para a França o gosto pelo luxo, pelo prazer e o bom gosto dos palácios italianos. A França sempre tentou conquistar a região.

De 1536 até 1562, ficará anexada à França. Alguns dialetos perdidos pelo interior recordam o antigo francês.

Terra de matemáticos, de engenheiros, de pintores, foi aqui que surgiu a indústria automobilística italiana. A Fiat provocou uma revolução não apenas na técnica como na parte social do Piemonte e da própria Itália.

O Vale d‘Aosta, verde aberto para os picos e passagens indo para os Alpes convida ao turismo: parques nacionais, casas rurais, madeira escura, abrigo para animais e esportistas do gelo, são pontos escuros na paisagem branca da neve, que teima em não escapar das fotos.

Abadias, sacras, fortalezas, igrejas, detalhes de batalhas estão por todos os lados. Um paraíso para o turismo ecológico e histórico.

Depois é o momento de apreciar os pomoderi secchi, o cuori di carciofio, o canestro de funghi, os prosciutos, as mortadelas temperadas.

Os temperos adicionados alteram o gosto, melhoram o sabor, apresentam desafios. Qual o melhor vinho para obter o casamento adequado numa refeição no Piemonte?

A preparação das focaccias, com temperos e ervas especiais, dá apresentação e gosto diferente da preparada na Ligúria — em Gênova.

O surgimento, a concretização da Unidade Nacional Italiana teve seu berço em Turim. A partir de 1810, vultos como Carvour, Manzini, Vitor Emanuel II e Garibaldi iniciaram a revolução.

Cortada pelo Rio Pó, cruzar as pontes permite visualizar o perfil da cidade, onde o vulto da Molle Antonelliane sobressai. O que era para ser simples Sinagoga tornou-se o símbolo de Turim. Avenidas imensas, praças, prédios barrocos, mais de 10 palácios reais. Desde 1587, a Casa de Savoia escolhe Turim para ser a sede de Governo.

As paisagens pré-alpinas do Vale d’Aosta são belas, as Olimpíadas de Inverno tem ali o seu palco.

A uva nebbiolo, difícil de manejo, produz o Barolo e o Barbaresco; vinhos tintos, intensos, representantes da alma do Piemonte. As uvas Dolcetti e Barbere produzem tintos mais leves, frutados, não podem ser desconsiderados quando a relação custo-benefício é considerada.

O moscato d’Asti, obra prima da uva moscatel, serve como término adequado as pesadas refeições do Piemonte.

Aqui, João Bosco inicia o trabalho de recuperação de jovens. A ordem dos Salesianos tem o seu templo na Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, local onde o santo foi enterrado.

O Palácio Madama, misto de fortaleza e palácio, abriga museus que contam a história da cidade desde a época romana. As ruínas das antigas muralhas, das portas de acesso são visíveis pelas escavações realizadas e que mostram passado de lutas e de glórias.

Os pintores e escultores do século XIII e XIV estão presentes nas obras expostas no museu anexo. Magníficas e únicas.

Mas a partir de 1578, inicia-se em Turim uma devoção. A exposição do Santo Sudário prova visível da existência de Cristo, pode ser vista em ocasiões especiais. Mesmo as controvérsias científicas, provocadas pelo teste do carbono quatorze, não diminuíram a fé dos crentes. A história, os detalhes percebidos, os estigmas representados no linho impressionam. Os últimos estudos feitos com a aplicação de computador, das técnicas modernas, apresentam os contornos de pessoa tranquila na morte, olhos fechados, com feridas e chagas relacionadas na Bíblia e nos evangelhos. À época não havia possibilidade de pinturas possíveis. Miguelangelo nasce bem depois do primeiro relato. As análises químicas, não indicam o uso de produtos químicos de tintas para marcar o branco das fibras do tecido. Não houve contaminação de corpo humano. Desenhos tridimensionais revelam para os fieis o corpo do Nosso Senhor Jesus Cristo. Nas fibras de linho, tecido à moda antiga, traços de mirra foram encontrados, o que reforça a fé dos crentes, pois nas vésperas do sábado não havia tempo para a tradicional limpeza dos corpos, conforme a tradição judaica.

Patrocínios:

Compartilhe