Cidade dos Templos. Kaoshiung em Taiwan

Cidade moderna, o maior porto de Taiwan, impressiona pelas instalações portuárias, pela extensão dos cais, pelo pátio de manobra dos contêineres e pela indústria naval com os seus guindastes gigantes como sentinelas.

Passeios pelo Rio Love, passando por pontes e viadutos é distração para quem tem um tempo adicional, oportunidade de ver a cidade de outro ângulo.

O Mosteiro de Fo Guang Shan apresenta a tradicional Alameda de Budas nas mais diversas posições. Quer orando, meditando, mais de 48 posições são reconhecidas pelos fiéis.

Buda Gigante, à distância, nos faz refletir sobre os conhecimentos budistas, sobre a maneira correta de enfrentar nossa jornada pelos pecados do caminho e pelas alegrias da terra.

Junto a lago repleto de lótus, a flor sagrada, que também providencia alimento, encontraremos o Pagoda do Tigre e Pagoda do Dragão. Oportunidade para subir escadas, apreciando pinturas que descrevem o cotidiano de Sidarta, o mestre.

Os pavilhões do Verão e do Outono, perto, estão dedicados a Kuan Kung, o deus da guerra.

Pelo caminho, outros templos, magníficos pela arquitetura, pela conservação permanente fazem sua apresentação; por terem estado longe da Revolução Cultural Chinesa, intactos, estão presentes para nos ensinar como seguir o “Caminho da Virtude”, lema de Buda.

Impressionante a coleção de imagens, de pinturas, de objetos e de estátuas de jade. A porcelana aparece na arte religiosa; os trabalhos em laca mostram a habilidade dos artesãos de Taiwan. O Taoismo e o Budismo aqui formam quase uma única religião. Difícil para o turista identificar diferenças. Imagens do inferno, do paraíso, dos 24 filhos obedientes, trazem mais confusões para mente ocidental, ignorante nas práticas e nos ritos religiosos orientais. Confúcio aparece misturado com Buda, só que Confúcio, ideias mais antigas, milenares é o que realmente representa o espírito da China. Preciso saber mais do mestre cujas ideias estão bem próximas das de Jesus Cristo. Iluminados?

— É a deusa da misericórdia. A nossa Guanyn – nosso guia explicava o significado de Deusa que aparecia montando num dragão.

Fiquei curioso, mas não satisfeito com as explicações. Preciso aprender mais para entender o modo de vida dos habitantes de Taiwan.

Formosa, antiga denominação, ilha revelada pelos portugueses para o ocidente é local que exige outras viagens. Pelo clima, pelas belezas naturais, pela fertilidade do solo, o nome é bem-merecido.

A cidade, na entrada dos bairros, apresenta os típicos pórticos com os votos de felicidade e boas vindas, mas é o perfil da Tuntex Sky Tower que caracteriza Kaoshiung. Na zona do porto as antigas muralhas podem ser vistas e as portas de acesso à cidade foram preservadas, mesmo com o crescimento da urbe. Trem rápido liga o maior porto de Taiwan até Taipé, a capital. O antigo dialeto local, falado pela maior parte da população, é compartilhado com o mandarim, língua oficial que predomina em Taipé. Com a vitória comunista e a queda de Beijing, os apoiadores do Kuomitang, partido oficial, fugiram com bens e fortuna para Taiwan, razão para a atual confusão que os turistas enfrentam. O metrô de Kaoshiung apresenta na Estação Boulevard um show de luzes e de arte: o Domo da Luz. O mercado noturno de Liuhe é o mais famoso, no entanto, o maior está no Ruiffeng Night Market; não podemos sair sem conhecer um desses mercados. A região de Kaoshiung esteve sob domínio holandês durante 30 anos, só em 1662 eles foram expulsos. Em 1895, os japoneses após conquistas na China, por tratados ocuparam Taiwan até o final da 2a Guerra Mundial; não deixaram boas recordações apesar dos investimentos realizados, principalmente no porto de Kaoshiung, o maior porto de Taiwan.

Patrocínio:

Compartilhe