Mercado de Ippodemios. Pireu Antigo, 400 d.C

Mercado de Ippodemios. Pireu Antigo, 400 a.C.

Nikos Sykaris estava eufórico, as tratativas por ele iniciadas davam os primeiros frutos. Seu patrão, patrício, com voz nas assembleias, aceitara as suas sugestões.

O porto de Zea, bem perto da Acrópolis de Atenas, a patrona da cidade, trouxera fortuna pelo comércio para Papahatzis Kouros, personalidade conquistada pela juventude e inteligência de Nikos.

Tulciades fora o precursor, a pessoa que tirara os gregos da terra e os lançara para os mares, para o comércio, para obtenção de riquezas que agradavam aos deuses.

No porto, de onde saía embarcações para todos os ancoradouros, para todas as ilhas e mesmo para países estrangeiros, alguns futuros ou atuais inimigos, estrutura fora implantada para facilitar as atividades marítimas: estaleiros, docas, armazéns, tavernas, bordéis, lojas e depósitos onde as mercadorias de todas as regiões eram estocadas, agora tornavam o Pireu o centro do mundo da época.

Além das dracmas de prata da Grécia, com efigie de coruja, todas as moedas eram aceitas. Regras de convivência estabelecidas, o contato com os estrangeiros e os seus vícios evitados ou controlados. Era importante manter a moral local e a segurança das matronas gregas.

Medidas foram tomadas para dar segurança e efetividade às transações comerciais ali realizadas. Os Bancos instalados, em breve, por sugestão de Nikos ampliariam a sua atuação.

Com o apoio dos políticos, as operações de financiamento, de empréstimos, de garantias, teriam aspecto sigiloso, mesmo secreto. Os ricos negociantes poderiam ocultar parte da sua fortuna, não necessitariam tributar todos os seus ativos. Os serviços bancários agora permitiriam, de modo legal, trabalhar nas sombras da economia.Em contas sigilosas, todos poderiam participar das riquezas proporcionadas pelo sistema. O Estado sabia que a política adotada iria atrair investidores, ricos proprietários de outras plagas, a economia no global seria alavancada. Todos ganhariam com o Paraíso Fiscal ali estabelecido ao longo dos anos.

O projeto de Nikos Sikaris, ganhando o apoio de Papahatzis Kouros e de outros líderes, fora implantado; os primeiros resultados superavam as expectativas.

No caminho do porto de Zea, indo na direção do Mercado Ippodamus, Nikos observava as atividades comuns dos outros mortais, todos preocupados em conseguir a paga diária, o que permitiria manter as suas famílias; obrigação primordial.

Barbeiros no seu ofício, ferreiros trabalhando o ferro nas suas bigornas, malhos espalhando faíscas, carpinteiros unindo madeiras, formatando peças, partes de navios, trabalhadores medindo e condicionando os itens comerciais que movimentavam os depósitos. Nas tavernas, algumas cortesãs preparavam as salas, ajustavam roupas, preparavam vasos e enchiam ânforas; os seus clientes vindos de longe tinham sede e fome em demasia.

No mercado de frutas, de verduras, de trigo, as bancas estavam prontas; aguardando os primeiros clientes. Padeiros, açougueiros e as bancas com peixes ocupavam salões distintos.

Mas era o porto o principal elo do sistema econômico de Atenas.

Parando por um momento, vendo ao longe os muros que protegiam a cidade do ataque de piratas e de inimigos e mesmo da Pérsia sempre ameaçadora, Nikos, por momentos, refletindo, observava a modelagem das âncoras de pedra usadas nas naves que cobriam o azul da baía.

Dois mil e quatrocentos anos mais tarde, a paisagem daquele dia de Nikos mudara;muitas ideias foram copiadas, ampliadas, combatidas e anuladas, as rodas da fortuna seguiram o seu curso. Ruínas são apenas testemunhas caladas, muitas ainda escondidas por inundações, por avalanches, por depósitos de sedimentos.

No entanto, nos museus, imagens distantes do dia-a-dia das instalações portuárias de Zea, permitem a visualização do que acontecia no Mercado de Ippodamios. Basta olhar com atenção os detalhes das ânforas restauradas.

No Museu de Pérgamo, em Berlim, reprodução de estrutura helênica da época, permite reconstruir a imagem do porto.

Com imaginação podemos recriar o ambiente em que Nikos Sikaris viveu e onde por primeiro alguém pensou em alterar o sistema econômico, criando o primeiro Paraíso Fiscal.

Patrocínios:

Compartilhe

17 respostas para “Mercado de Ippodemios. Pireu Antigo, 400 d.C”

  1. Pingback: Buy viagra generic
  2. Pingback: cialis pills
  3. Pingback: levitra online
  4. Pingback: viagra pills
  5. Pingback: cbd
  6. Pingback: viagra suppliers
  7. Pingback: viagra for sale
  8. Pingback: online viagra
  9. Pingback: impotence pills

Os comentários estão desativados.