Mercados da Grécia. Nunca aos Domingos

O comércio é tradição grega.

Em todos os bairros encontramos os tradicionais mercados. Plaka, nome auspicioso, está em decadência. Poucos restaurantes e lojas interessantes, atrações poucas, apenas uma vista impressionante do Partenon é o que resta aos turistas.

Para circular pela cidade, o melhor é adquirir passe de 24 ou 48 horas em ônibus de turismo. Podemos descer em todos os pontos de interesse e retornar ao circuito no próximo ônibus. Não é preciso pressa.

A culinária grega, com frutos do mar, se espalha pelas orlas do mar, os restaurantes estão lado a lado. Os peixes são abundantes nas águas de azul profundo e nos pratos dos restaurantes. Polvos são atrações, os seus tentáculos ao sol mais tarde serão oferecidos como aperitivos e iguarias da culinária grega .

É difícil resistir às ofertas da bebida local; o tradicional Ouzo.

Efthathior Babayannis efetuou a primeira destilação; fórmula secreta passada de geração a geração. Alambiques especiais processam resíduos de uvas empregadas para produção de vinhos, para produzir a bebida da Grécia.

As condições do clima, bastante sol, chuvas adequadas permitem que hortaliças, vagens, abóboras, tomates e pepinos cheguem à mesa de todos, colorida nos extremos.

Nos mercados, em todas as ilhas, a oferta se repete; variedade de pimentão na cor rosa, até então desconhecida, surgiu como surpresa. Não tive oportunidade de experimentar nem a textura nem o sabor. A culinária local inclui o peixe como proteína principal.

Em Athenas procure o Mercado Central da rua Athinas para descobrir as verdadeiras fontes de suprimento.

Além das oliveiras milenares, dádiva da deusa Athenas aos mortais, encontramos avelãs, pistaches e muito mel. Os doces locais são famosos. Azeitonas preparadas, várias cores, em óleos e azeites, com temperos, surgem em frascos e vidros especiais.

Para os especialistas, para os que seguem os ritos dos 1001 vinhos que precisamos degustar, a referência fica no vinho resinado da Cepa Roditis, típica dos Peloponesio. É vinho branco seco, 12% volume de álcool. Gaia é a denominação, o vinho é recomendado para os tira-gostos locais e harmoniza com os pratos típicos da Grécia. O excesso do pinheiro no aroma pode incomodar os desprevenidos. O vinho não é dispendioso, mas exige alegria de muitas pessoas no entorno para ser melhor apreciado. Particularmente não fiquei muito entusiasmado com a experiência, talvez pela falta de prática. Para quem vem da Itália a adaptação não é fácil.

Patrocínios:

detalhesdetalhesdetalhesdetalhes

Compartilhe