Shangai, a Paris do Leste

A cidade sempre foi destaque na história da China e da Ásia. No início uma imunda vila de pescadores, o Huangpur River, efetuando a conexão com o mar; de onde vinham os temidos piratas japoneses.

Na cidade antiga, onde se concentra o mercado característico, ainda se vê os vestígios das muralhas de proteção. Sempre foi centro importante no comércio. Em 1848, após a Guerra do Ópio, pelo Tratado de Nanjinq, Shangai está aberta para as potências ocidentais.

A influência europeia é visível na arquitetura de prédios que se alinham junto ao calçadão do rio Huangpur, região denominada de Bund.

Em 1921, nessa cidade foi fundado o Partido Comunista – o local é preservado -, sendo Mao Shedong um dos signatários da ata. A revolução cultural que destruiu boa parte do acervo histórico da antiga China, também teve o seu início na maior cidade chinesa da atualidade. Era preciso destruir o passado não comunista.

A partir de 1978 começa renovação total, tanto na política, mas principalmente na administração e na eficiência dos negócios econômicos. O caráter empreendedor dos habitantes de Shangai é a mola do progresso que agora torna a cidade, a “Pérola da China”.

Prédios ultramodernos, espaços imensos com jardins, flores e árvores. Paisagismo exuberante, transporte público eficiente e uma concentração de bancos, de empresas de todo o Globo. Novo aeroporto em Pudong, o terminal marítimo de Baoshan, o trem rápido com suspensão magnética que liga a cidade até o aeroporto, a Torre de Shangai, com mais de 600 metros de altura, agora é o segundo edifício mais alto do mundo. A concentração de guindastes de elevada capacidade, gigantes automatizados, surpreende o turista que chega.

A Exposição Mundial de 2012 trouxe novas perspectivas para cidade globalizada. Como resultado, encontramos espaços floridos, trânsito rápido e fluindo, segurança e bons preços em tudo. A maior dificuldade é saber onde comprar. Os shoppings são gigantescos; podemos nos perder facilmente, o que custa caro em tempo e dólares.

Não adianta alugar carro, não temos onde estacionar; nas ruas não existe local disponível. É proibido como regra geral.

O ônibus hip-hop é a melhor indicação. Barato, passe para dois dias, traz como bônus ingressos para as atrações principais da metrópole.

Passeio fluvial, no final da tarde, permite obter vista deslumbrante da cidade que aos poucos ganha cores à medida que o sol desaparece.

Visita a um dos observatórios elevados, quer na TV Tower ou na Jin Mao Tower, nos dá visão 360º de toda a cidade. Tendo tempo, duas visitas são recomendadas. Pelo meio-dia e outra pela noite. Escolha dias com pouca nebulosidade para aproveitar melhor a subida. Vale a pena. Imperdível ou terás que retornar.

Para quem aprecia bons restaurantes, uma visita à Concessão Francesa proporciona boas possibilidades gastronômicas. O problema é escolher o tipo mais adequado ao nosso paladar. Há várias escolas ou linhas para os pratos chineses. Não dá para experimentar todas as invenções locais.

Saia já programado para não ficar perdido na escolha.

Patrocínio:

detalhesdetalhesdetalhesdetalhes

Compartilhe

20 respostas para “Shangai, a Paris do Leste”

  1. Pingback: cialis coupon cvs
  2. Pingback: levitra vs cialis
  3. Pingback: Generic viagra
  4. Pingback: Viagra mail order
  5. Pingback: prices of cialis
  6. Pingback: top ed pills
  7. Pingback: cheap ed pills
  8. Pingback: Buy cialis
  9. Pingback: levitra 20 mg
  10. Pingback: levitra usa

Os comentários estão desativados.