MERCADOS DO ARTESANATO CRIATIVO

MERCADOS DO ARTESANATO CRIATIVO

.

Maravilhas de La Rochelle, o santuário protestante na França.

La Rochelle, rica, industrializada, com comércio ativo, independente, não era obrigada a pagar tributos, gozava de liberdade econômica, até ser subjugado por Luís XIII, rei da França.

Para dominar a rebelde província, o Cardeal Richelieu comandou diretamente o cerco durante um ano de privações. No ano de 1628, após fome que matou milhares de residentes, La Rochelle caía.

Boa parte das muralhas foram demolidas e o domínio protestante da cidade desaparecia.

Mesmo mutilada, a beleza e a plástica da fortaleza portuária, com duas torres na entrada do antigo porto, concede graça inigualável à cidade. La Rochelle é um dos maiores polos de turismo de toda a França.

História, tradições, praias próximas, possibilidade de cruzeiro marítimo para conhecer as ilhas próximas, os fortes existentes pela região e aquela paisagem tão diferente dos que ficam em terra, atraem turistas de todo o mundo.

É lugar que não podemos deixar de conhecer antes de morrer.

Inclusive, durante a 2ª.Guerra Mundial, os comandantes dos submarinos alemães baseados em Lorient e Saint Nazaire, nos períodos de descanso, entre as suas missões, iam para refúgio em La Rochelle.

Abrigo subterrâneo na Rua des Dames, descoberto e restaurado com todo o conforto possível, protegia os lobos do mar, denominação dos oficiais da armada submarina germânica.

No período de 1568 até 1628, La Rochelle foi bastião protestante. Os huguenotes franceses tinham aqui o seu santuário. Inclusive Henrique de Navarra, futuro rei Henri IV, aqui permaneceu em segurança.

– Paris vale bem mais do que uma missa – expressão do futuro soberano, quando surgiu a oportunidade de assumir a coroa francesa.

Museu do protestantismo é outra coisa para os curiosos, para os que procuram descobrir as verdades ocultas por trás dos relatos oficiais.

Como empório comercial, o porto trabalhava com trigo, vinho e sal, os produtos básicos da sua exportação. No seu tempo dominava o comércio no oeste da Europa. Hoje o turismo é a principal atividade e a sua feira de artesanato criativo é algo típico de La Rochelle. O que vamos visitar, mas antes vamos degustar o gostoso sorvete, o calor do verão é intenso.

Do alto da Torre das Cadeias podemos visualizar as barracas que ocupam as beiras do cais e parte da Praça Central.

Cada artesão, cada artista apresenta o seu poder de criação e de sua arte.

Trabalhos em cerâmica, objetos de vidro executados com perícia e mãos hábeis. Pinturas de marinhas, de arcos em muralhas estão ao lado de trabalhos na madeira ou mesmo pela forja, corte e doma do metal.

Joias em prata aparecem ao lado de outras lembranças. Bom gosto, perfeição nos detalhes, riquezas na execução é o que chama a atenção.

Inclusive livros produzidos pelos escritores locais têm na apresentação, demonstrações de como os desenhos são executados. As tiras, como nos gibis, executadas à mão, aos poucos ganham espaço enquanto despertam curiosidade e admiração. Os temas do mar, das marinhas, de barcos são os que predominam. Enquanto repetíamos aquele sorvete, o calor do verão não dá trégua, circulando pelo mercado central, onde palhaços, mímicos, equilibristas, pianistas de rua se misturam com vendedores de tudo que pode ser trocado por alguns euros, era hora de escolher o local para descansar nossos passos e alimentar o nosso corpo. Crepes com o tradicional recheio de queijo, de bacon e ovos, estilo bretão, foi a solução mais rápida e econômica.

– Kig-ha-farz- a denominação da gostosura oferecida por lanchonete típica da Bretanha.

detalhesdetalhesdetalhesdetalhes

Compartilhe

2 respostas para “MERCADOS DO ARTESANATO CRIATIVO”

Os comentários estão desativados.