ROUEN. CAPITAL DA LUZ. FONTE DE INSPIRAÇÃO PARA OS IMPRESSIONISTAS

Claude Monet, Auguste Renoir, Alfred Sisley, Camille Pissarro e o inglês William Turner, descobriram o mistério milenar dessa região do rio Sena; as variações das cores do céu, as tempestades inesperadas e fulminantes, as variações das marés, as vibrações distintas entre os dias de inverno e as quentes noites do verão, os detalhes da costa do mar nem sempre acolhedor, são importantes no caminho da inspiração para as pinturas que irão realizar.

Em Rouen, base para iniciar as excursões, a ponte Gustave-Flaubert ousa pela arquitetura e pelas dimensões. Saint Maclou apresenta um dos poucos cemitérios medievais ainda existentes na França, “Le caneton rouennais” é a iguaria que exige método e tradição na preparação. O pato selvagem– hordain, na língua normanda – é o centro das atenções gastronômicas.

O “Gros-Horloge” apresenta um dos mais antigos mecanismos de registro do tempo. Instalado no século XIV junto ao Beffroi – Torre Municipal, é o centro da nossa atenção, antes de chegarmos à Catedral de Notre-Dame.

De noite, iluminada, a Catedral de Notre Dame recorda os episódios, a vida, o julgamento e a queima na fogueira da Donzela que salvou a França e deu origem ao restabelecimento de soberanos poderosos, que resultariam mais tarde em Luís XIV, o Rei Sol. O espetáculo noturno não pode ser perdido. Vale o desvio até Rouen.

Circulando pelo interior, vamos encontrar festas medievais; além dos torneios entre cavaleiros, do entrechoque das lanças, dos duelos, espada contra espada podemos observar como trabalhavam os artífices da época; o ferreiro, o tintureiro, o tecelão, o cunhador de moedas, o forjador de metais, o físico e suas ervas, o tanoeiro, o iluminista com suas gravuras em livros de orações, todos estão presentes com suas habilidades.

Para escritores, muitos temas estão na primeira linha como sugestão para o próximo trabalho. Sei que muitas horas serão necessárias para concluir a tarefa.

Serpentear pelo interior, acompanhar os volteios do Sena, encontrar outro castelo é a surpresa da próxima curva.

Partindo de Lille, de Amiens, de Beauvais em direção a Dieppe, para Le Havre, para Honfleur, tendo Rouen ao centro, é o destino, a decisão do dia, que vai nos levar para aquela surpresa imprevista. Os pequenos portos marítimos, as chalupas de pesca, as falaises d´Etretat. O que virá a seguir.

Abadias escondidas apresentam receitas médicas, cultivo de ervas, remédios centenários para tudo, inclusive para o cancro.

Os faróis são detalhes importantes na lembrança. Fuja da autoestrada da Normandia, o que menos precisamos é de velocidade; a paciência trará as devidas recompensas.

Quantos lugares para fazer aquela longa caminhada, ficará para outra vez o que fica para trás.

Nosso tempo é escasso e temos muito para ver.

Depois da Normandia, a Bretanha, logo ali também precisa falar.

detalhesdetalhes

Compartilhe

3 respostas para “ROUEN. CAPITAL DA LUZ. FONTE DE INSPIRAÇÃO PARA OS IMPRESSIONISTAS”

  1. Pingback: generic for cialis
  2. Pingback: best ed medication

Os comentários estão desativados.