MERCADO NOTURNO DAS DAMAS EM HONG KONG. NOITE DE LUA CHEIA

Tradição da cidade, servido principalmente por mulheres, o mercado ocupa vários quarteirões da região da península. As ruas são bloqueadas para o tráfego e barracas ocupam todo o espaço possível do asfalto.

A circulação não é fácil, ainda mais que restaurantes pequenos, com os pratos tradicionais ocupam todas as laterais das ruas. Para ocidentais a escolha do cardápio não é fácil. Por segurança, pratos de arroz ou de massa são os mais indicados.

Além das tradicionais quinquilharias, o mais recomendado são as bolsas na versão “genérico”. É preciso atenção e pechinchar. Uma Luis Vuitton, uma Prada, uma Michel Kors, uma Guess, que nas lojas de grife ultrapassam 2 a 3 mil dólares, aqui podem ser adquiridas por 300 a 400 US. Cuidado! Mesmo o produto genérico pode ser falsificado; os chineses possuem mais de 5.000 anos de malandragem nos negócios e precisamos ter cuidados. Nunca aceite a primeira contraoferta e nem compre por impulso. O cartão de crédito exige prudência.

O que caracteriza a região é o contraste entre as lojas de grife mundial, magníficas na arquitetura, nas vitrines, no bom gosto da decoração e os artigos sendo lançados em tendas nas ruas.

Todas as novidades para a próxima estação são tentações para resistir.

O Mercado Noturno, instituição chinesa, apresenta alternativa bem mais barata, pitoresca e bastante turística. Oportunidade de compra T-Shirt com desenhos de Hong Kong, pinturas, artigos de jade de segunda linha, roupas tradicionais cheias de brilho, bolsas de tecido bordado, cintos, acessórios para telefones celulares, carregadores não muito confiáveis, bolsinhas para noite, mochilas, meias, sapatos, tênis, tudo que pode depois ficar numa das gavetas da nossa casa. Não se pode comprar pelo preço, por impulso.

Os letreiros, os anúncios coloridos dão aspecto interessante e colorido para a noite. Por sinal, agradável e de lua cheia. O problema é que, por mais que procurássemos não conseguíamos avistar a fugitiva.

Onde estaria retira a danada? No retorno, perto da baía, de repente a resposta. Algo quase inacreditável. Naquela noite, dia específico, era momento de eclipse total. Durante 4 horas a lua escapava dos olhares curiosos e ansiosos de dois brasileiros.

detalhesdetalhesdetalhesdetalhesdetalhesdetalhes

Compartilhe